top of page

Desvendando o Cérebro Infantil com PHDA



A Perturbação do Défice de Atenção e Hiperatividade (PHDA) é uma perturbação complexa do neurodesenvolvimento que afeta indivíduos de todas as idades. É caracterizada por padrões persistentes de desatenção, hiperatividade e/ou impulsividade que afetam significativamente o funcionamento e o desenvolvimento diário.

Uma criança com PHDA pode apresentar diferenças no funcionamento de algumas áreas do cérebro, em comparação com crianças sem essa condição. Aqui estão algumas das áreas chave e como elas podem ser afetadas:


Rede Frontoestriatal:

O que é afetado? Esta rede envolve o córtex pré-frontal (parte do cérebro relacionada ao pensamento abstrato, planeamento e controlo de impulsos) e os gânglios da base.

Como é afetada? Pode haver disfunção nessa rede, levando a dificuldades nas funções executivas, como atenção, inibição (capacidade de controlar impulsos) e memória de trabalho.


Rede de Modo Padrão (DMN):

O que é afetado? Esta rede é ativada durante o repouso e envolvida em processos internos, como autorreflexão e pensamentos sobre si mesmo.

Como é afetada? Pode haver um aumento da atividade e conectividade dentro da DMN, especialmente durante momentos em que a criança não está envolvida em tarefas específicas. Isso pode interferir na atenção e na capacidade de se concentrar.


Regiões Corticais Frontais:

O que é afetado? Particularmente o córtex pré-frontal, que desempenha um papel crucial nas funções executivas, incluindo o controlo atencional, memória de trabalho e inibição.

Como é afetado? Pode haver uma redução na espessura cortical em regiões frontais, associada a sintomas mais graves de PHDA, afetando a capacidade da criança se manter atenta e controlar impulsos.


Circuito de Processamento de Recompensa:

O que é afetado? Envolvendo áreas como o estriado ventral, amígdala e córtex pré-frontal, este circuito está relacionado à motivação e à experiência do prazer.

Como é afetado? Pode haver disfunção neste circuito, resultando em dificuldades na antecipação de recompensas, motivação reduzida e preferência por gratificações imediatas.


A PHDA parece estar associada a alterações nas redes cerebrais envolvidas em funções executivas, atenção, processamento de recompensa e autorreflexão. Essas alterações podem explicar os sintomas observados em crianças com PHDA, como dificuldades de atenção, impulsividade e desafios no controlo de comportamentos. No entanto, é importante notar que a compreensão exata dessas alterações ainda está em evolução e pode variar de uma criança para outra.


Qual o papel do neuropsicólogo na PHDA?

O neuropsicólogo desempenha um papel crucial no apoio a crianças com PHDA, oferecendo diversas formas de ajuda:

  • Avaliação Neuropsicológica: O neuropsicólogo realiza testes e avaliações para entender as áreas específicas do funcionamento cerebral da criança. Isso ajuda a identificar padrões de dificuldades cognitivas e emocionais.

  • Intervenção e Treino Cognitivo: Com base na avaliação, o neuropsicólogo pode criar programas de intervenção personalizados para melhorar capacidades cognitivas, como atenção, memória e controlo da impulsividade.

  • Aconselhamento e Apoio Emocional: Crianças com PHDA frequentemente enfrentam desafios emocionais. O neuropsicólogo pode oferecer aconselhamento e estratégias para lidar com a frustração, promovendo o bem-estar emocional.

  • Orientação aos Pais e Professores: O neuropsicólogo trabalha em colaboração com pais e professores para desenvolver estratégias de apoio específicas para a criança. Isso pode incluir adaptações no ambiente escolar e em casa.

  • Treino de Capacidades Sociais: Crianças com PHDA podem enfrentar dificuldades nas interações sociais. O neuropsicólogo pode oferecer treino para melhorar as capacidades sociais e a empatia.

A abordagem do neuropsicólogo é holística, visando não apenas os défices cognitivos, mas também aspetos emocionais e sociais. O objetivo é proporcionar suporte abrangente para que a criança possa desenvolver o seu potencial máximo em diferentes áreas da vida.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page